Pedágio

Caminhoneiro

Viagem

Notícias

Caminho dos Diamantes – SÉRIE: ESTRADA REAL

Sejam muito bem vindos ao último post da Série sobre os Caminhos da Estrada Real. Se você perdeu algum post, pode conferir aqui.

Hoje vamos mostrar a você todos os encantos do Caminho dos Diamantes.

Ele vai de Diamantina a Ouro Preto. Sua relevância se deu por volta de 1726, quando as pedras preciosas de Diamantina começaram a ter grande destaque e valor comercial.

O Caminho dos Diamantes possui 395 km, onde 73,5% são estrada de terra e 26% está asfaltado. Apenas 0,5% do caminho é composto por trilhas.  Ele segue ao longo da Serra do Espinhaço, considerada reserva da biosfera pela Unesco desde 2005.

Hoje, você pode percorrer os 395 km do caminho e conhecer todas as cidades em 4 dias, de carro. Para fazer o percurso de bicicleta, estima-se uma duração de 8 dias de viagem. A cavalo, 14 dias. Caso um peregrino resolva fazer todo o percurso a pé, parando para apreciar todos os pontos turísticos que existem no caminho, este trajeto pode levar até um mês.

O único trecho com trilhas vai de Santa Bárbara até Catas Altas e possui 2 km.

Reserva da Biosfera da Serra do Espinhaço

serra caraca

Na Serra do Caraça, com seus sete cumes, se destaca o pico do Sol, o mais alto da Serra do Espinhaço, com 2.073 metros

Conhecida como Cordilheira Brasileira, a Serra do Espinhaço é um agrupado de montanhas, serras, montes e vales, localizada no planalto Atlântico, estendendo-se pelos estados de Minas Gerais e Bahia, originados por dobramentos geológicos há mais de 2,5 bilhõoes de anos.

Talvez você nunca ouviu falar da Reserva, mas com certeza alguns nomes são familiares: Serra do Cipó, Chapada Diamantina, Serra dos Cristais, Serra de Ouro Branco, Serra Geral são alguns de seus trechos popularmente conhecidos. São cachoeiras, rios, cânions, lagos e pequenos riachos distribuindo, dividindo e abastecendo mais de 50 milhões pessoas em todo o território brasileiro.

chicorei

Foto: Blog Mineiros na Estrada

Mina do Chico Rei

A escavação subterrânea está aberta para visitação e conta a história de um escravo que conseguiu comprar sua própria carta de alforria com o ouro que escondia entre os cabelos.

mercado diamantina

Foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press

Mercado Velho –  Diamantina

Antigamente, o mercado era ponto de troca e comercialização de mercadorias trazidas pelos tropeiros. Hoje, o viajante encontra grande diversidade de artesanato e comidas típicas locais.

 

 

E assim, chegamos ao fim da série de posts sobre a Estrada Real. Tem alguma sugestão de conteúdo? Escreva pra gente! blog@rotasbrasil.com.br

Assine nossa Newsletter!